4 Dicas pra acertar sua arte-final de quadrinhos

Evite estes errinhos nas suas Histórias em Quadrinhos
July 29, 2016
Os 7 pecados mortais de um quadrinista
August 12, 2016

4 Dicas pra acertar sua arte-final de quadrinhos

Conan, de Roy Thomas, John Buscema e arte-final de Ernie Chan

Passar nanquim em um desenho é uma arte. Talvez por isso que chamam de arte-final.

Até pouquíssimo tempo atrás, eu não ficava 100% satisfeito com o nanquim sobre o meu lápis. Graças a um estudo mais apurado, feito recentemente, minha arte-final passou por uma melhora sensível. Não fui eu quem notou, e sim pessoas próximas, profissionais da área.

Por conta dessa melhora, sinto mais segurança no meu trabalho. O que antes era uma dificuldade passou a ser algo executado com naturalidade.

Muita gente “apanha” nessa parte dos quadrinhos; alguns até estragam um lápis caprichado. Por isso, senti-me  na obrigação de transmitir o que aprendi. Pode parecer pouco e óbvio, mas acredite: se você treinar bastante e seguir à risca essas instruções, seu trabalho vai dar um salto qualitativo impressionante.

Eu sei. Passei por isso.

Então chega de enrolação. Com vocês…

A arte de passar nanquim nos seus quadrinhos

1) A grossura da linha e sua equivalência com a distância

Numa fotografia, quanto mais próximo, melhor o foco; quanto mais longe, menos nítida a imagem. Nas ilustrações de quadrinhos, objetos mais próximos do leitor ganham uma linha mais grossa de nanquim. Elementos mais “afastados” recebem traços mais finos.

Battle Chasers (Guerreiros Indomáveis, no Brasil), de Joe Madureira

Battle Chasers (Guerreiros Indomáveis, no Brasil), de Joe Madureira. . Arte-final de Tom McWeeney, Tim Townsend, Jason Martin e Scott Williams

 

Conan, de Roy Thomas, John Buscema e arte-final de Ernie Chan

Conan, de Roy Thomas, John Buscema e arte-final de Ernie Chan

 

É assim em HQs americanas, em mangás ou quadrinhos europeus. Uma exceção a essa regra é a linha clara, que, como o próprio nome revela, mantém todos os elementos do quadrinho com espessuras uniformes de traço. Veja no exemplo abaixo.

 

Tintim na Lua, de Hergé

2) Traços externos e internos

Via de regra, em arte-final os traços externos dos objetos são mais grossos, e os internos (ou aqueles contidos dentro de um mesmo desenho) são mais finos.  A ilustração abaixo mostra isso de forma bem evidente! Compare o contorno do Aranha (traços externos) com os rabisquinhos das teias de seu uniforme (traços internos).

Homem-Aranha Ultimate, de Brian Michael Bendis e Mark Bagley. Repare no nome do artefinalista: ART Thibert!!!

E agora, o pulo do gato da arte-final!

3) Grossura da linha em relação à luz

Esta é a segunda dica mais importante, a que vai de fato dar volume ao seu desenho! Imagine, dentro do quadrinho, de onde vem a luz. Se ela vier de cima, o traço do desenho mais próximo da fonte de luz ficará mais fino. O lado que seria “de baixo” ficará mais grosso. É como se fosse realmente uma sombra no seu desenho.

Pra facilitar, eu lembro de algo que aprendi na escola, com um professor de matemática: a diferença entre um círculo e uma circunferência é que o primeiro é um traço único, e a segundo tem… sombra!

Um círculo e uma esfera

Um círculo e uma esfera

Beyconn, personagem de minha autoria

Beyconn, personagem de minha autoria

Perceba, no desenho que eu fiz, que a luz vem do canto superior direito. Assim, a parte de baixo da orelha, da mão, do focinho e da manga da roupa (embora esta não esteja tão evidente) apresentam traços mais grossos.

4) A ordem da sua arte-final

Essa é a que eu considero a dica mais importante de todas! Aquela que de fato vai dar força e personalidade à sua arte-final!

Assim que você definiu de onde vem a fonte de luz, preste atenção nos personagens da cena. Deixe mais grossos, em primeiro lugar, o maxilar, a parte inferior do nariz, depois a parte de baixo dos olhos deles (um personagem por vez!). Depois vá para a parte inferior dos braços e dos dedos. Em seguida, a parte inferior das roupas. Pronto! Aí você já tem a base da sua arte-final e é só continuar a prestar atenção na fonte de luz para continuar seu trabalho.

Percebeu que não especificamos se a arte-final é com nanquim ou pelo computador? Pois é: isso porque as regras valem para ambos os casos.

Palavras finais de hoje…

Caso você queira se aprofundar mais nesse assunto, tipo dar efeitos de texturas de madeira, metal, nuvens, grama e outros materiais, estude neste livro aqui. Apesar de alguns errinhos de tradução, ele me foi de muita ajuda e as dicas que passei aqui se basearam nele.

Espero que tenha curtido.

Até a próxima semana. Viste também este site aqui!

Comprar