Coisas que me incomodam nas HQs (e que eu não faço)

Representando a passagem do tempo em quadrinhos
September 23, 2016
Entrevista com Júlio Magá
October 7, 2016

Coisas que me incomodam nas HQs (e que eu não faço)

 

Você gosta de todo o tipo de HQs? Mesmo? Não tem nem umazinha que incomoda? Que felicidade a sua, pois algumas me repelem. Não as HQs em si, e sim algumas características, tanto em roteiro como em desenho. Que eu evito a todo custo nas minhas histórias. Vamos ver se você concorda!

Elementos que me repelem em HQs

HQs verborrágicas

Segundo o livro Os Quadrinhos, de Antonio Luiz Cagnin, “(…) o texto não é essencial à história em quadrinhos, assim como o romance escrito não exige forçosamente seja ilustrado com imagens.” O autor afirma que as “verdadeiras e autênticas” HQs, “por definição, são mudas, dispensando totalmente o texto quando se servem da representação dos movimentos mais significativos das ações e dos gestos dos personagens”.

Concordo com o autor. Quadrinho, para mim, é imagem com texto de apoio, e não o contrário, como uns e outros teimam por aí. Na boa, se o autor curte um monte de legendas ou uma porção de balões repletos de fala, melhor se aposentar e ir pra literatura.

"Your wish is my command!"

“Your wish is my command!”

Excesso de personagens

Saiam! Esse quadrinho pe meu!

Saiam! Esse quadrinho é meu!

Já me disseram uma vez (e eu creio que deva até ter dito numa das primeiras postagens) que todo personagem precisa de uma razão para existir. Sem função, o que ele estaria fazendo na história? Há HQs que padecem dessa superpopulação de protagonistas. Na maioria das vezes, o que acontece é que um ou dois mandam, e os outros 634 obedecem. Boa parte dos leitores se confunde no meio de tanta gente, acaba se desinteressando e fica pelo meio do caminho. Empregue um tempo na construção dos seus personagens, porque vale a pena. Já passei algumas dicas sobre esse tipo de criação aqui , acolá e bem aqui.

Desenho realista sem expressão

O desenhista tem a manha: anatomia, proporções, cenários, veículos. Tudo é uma maravilha.
O problema são as expressões dos personagens: não passam de esgares. A gente fica sem saber as emoções dos participantes da HQ. Aquela boca aberta é o quê? Raiva? Alegria? Está gritando ou conversando?

Existem desenhos em que não sabemos se o cara está sorrindo ou peidando

Quando a gente não sabe se o cara está sorrindo ou peidando

Pior é quando se mete a ilustrar os personagens de um filme ou série de TV e a gente nem reconhece os atores. Na minha humilde opinião, se o artista se propôs a abraçar o estilo fotorrealista, ele tem a obrigação de caprichar nas expressões faciais. Se não estiver conseguindo, melhor praticar mais ou cair menos na real.

Vilão bunda-mole

Sylvester Stallone já afirmou, certa vez, que o vilão precisa ser alguém à altura do herói, porque isso o valoriza ainda mais. Ele está certo. Que graça tem um bandido que não é páreo pro herói?

Capriche no seu bad guy. tenho umas dicas pra você neste link.

O Sly dá aquela PUSTA dica, daí chega em rambo 4 e ele mata o líder dos vilões com um só golpe!!!????!!!!

Daí em Rambo 4 ele mata o líder dos vilões com um só golpe!!!????!!!!

O culpado é o mais babaca

Acontece algum mistério, crime ou assassinato. A história segue e os suspeitos vão aparecendo aos poucos. O protagonista investiga e descobre que o autor é… JUSTAMENTE A PESSOA MAIS BABACA E SUPOSTAMENTE INOFENSIVA DA HISTÓRIA!

Não sei se é porque já vi demais isso acontecendo, o fato é que já fico suspeitando do mais bunda-mole que aparece. Existem inúmeras formas de se criar culpados de quem ninguém desconfia, mas usar o malvadão de plantão ou o otário-mor não são as melhores.

Se você achou este texto mais opiniativo do que os demais, peço desculpas. Mas ainda fica a pergunta: quais as coisas que você gosta ou não gosta em uma história, filme ou HQ? Faça uma lista de cada… e evite as que desagradarem!

Um abraço e até a próxima postagem!
Confira este link também!

Comprar