Extraindo o máximo da sua história em quadrinhos

Como conquistar a atenção do seu leitor de quadrinhos
March 4, 2016
Aprimorando seu personagem de quadrinhos
March 18, 2016

Extraindo o máximo da sua história em quadrinhos

OLÁ.

 

O texto que você lerá agora apresenta noções básicas para quem gosta de histórias em quadrinhos e quer, de fato, produzir o próprio material. São dicas que servem como um empurrãozinho para melhorar a dramaticidade ou comicidade da sua HQ.

 

Você sabe contar uma história? Em quadrinhos?

Sabe aquele seu amigo que, mesmo contando uma piada nem tão engraçada assim, você ri por causa do jeito dele? Já prestou atenção nesse “jeito”? Às vezes ele bola uma voz diferente para os personagens; muda a entonação; faz uma careta na hora certa ou dá uma paradinha estratégica antes de revelar o final. Será que ele faça isso inconscientemente? Duvido. Esse seu amigo manja de linguagem corporal. Eis o segredo para contar histórias: conhecer a linguagem com a qual vamos trabalhar!

Se estamos falando de quadrinhos, para conhecer sua linguagem, não basta devorar tudo o que sai nas bancas, nas livrarias ou ler o que há para baixar na internet. Você precisa assimilar primeiro e fazer experimentações depois.

Embora não seja tão fácil, também não é tão difícil. Há alguns truques que quadrinistas usam, tanto os ruins quanto os bons. O que separa uns dos outros é o grau de sensibilidade deles na utilização desses truques!

 

A localização da câmera

 

Câmera baixa = sensação de grandeza

Ideal para mostrar o grau de importância de um personagem. Quando o herói ou vilão da sua história em quadrinhos surgir pela primeira vez, coloque a câmera “no chão”. Ele vai parecer um gigante em comparação com os outros.

 Asterix e os Normandos, de Goscinny e Uderzo

Asterix e os Normandos, de Goscinny e Uderzo

Câmera baixa = aumenta a importância

Quanto mais próximo estiver um objeto do leitor, maior a importância. Com a câmera baixa, então, ele rouba a cena. Caso seja esse o efeito que você procura, não hesite. Agora, se houver um objeto muito maior ao fundo (por exemplo, um edifício), parte do impacto recairá sobre esse objeto.

Spirit, Conheça P'Gell - Will Eisner

Spirit, Conheça P’Gell – Will Eisner

Câmera alta = sensação de diminuição

Quer mostrar que o personagem está numa posição inferior, indefeso diante de uma situação ou dominado por um sentimento? Câmera alta nele.

Blacksad, Um lugar entre as sombras, de Díaz Canales e Guarnido

Blacksad, Um lugar entre as sombras, de Díaz Canales e Guarnido

Câmera inclinada

Se eu disser que “aumenta a dramaticidade” da cena, me chame de óbvio! Todas as dicas anteriores tratam disso!

O Extracurricular Cucaracha, de Giorgio Cappelli (eu). Desenhei este quadrinho duas vezes até perceber que ele pedia uma “entortada”.

O Extracurricular Cucaracha, de Giorgio Cappelli (eu).
Desenhei este quadrinho duas vezes até perceber que ele pedia uma “entortada”.

Ao inclinar a câmera numa história em que a maioria das cenas encontra-se na vertical ou na horizontal, você está, na verdade, quebrando a monotonia. Dando força e impacto a uma cena.

 

O plano de detalhe tem uma função interessante: ao mesmo tempo em que mostra, explicita e exclusivamente alguma coisa na sua história, ele também esconde todo o resto.

Mecônio, o Magnânimo, Revista Gorjeta - Giorgio Cappelli

Mecônio, o Magnânimo, Revista Gorjeta – Giorgio Cappelli

Focando nos olhos de um personagem, por exemplo, você entrega as emoções dele… ao mesmo tempo em que oculta onde ele está, o que acontece em volta, se é dia ou noite… Suspense garantido!

É o timing, bebê!

Ao produzir sua HQ, tenha sempre em mente que um balão vai levar a outro, os dois levam à leitura do próximo quadrinho, este vai conduzir ao quadrinho seguinte e todos juntos guiarão o leitor até o final da página.

Mas… e pra levá-lo à página seguinte?

Você terá que deixar seu leitor tão curioso que ele terá que levar os olhos até lá. Aí entra um artifício chamado gancho. Que é mais fácil explicar do que fazer. Alguns exemplos:

  • Uma informação incompleta que (talvez) será dada na próxima página.
  • Algo fora do quadrinho, para onde o(s) personagem(ns) olha(m).
  • Uma necessidade de o(s) personagem(ns) ir(em) para outro local.

Em resumo: uma situação de suspense.

Um detalhe: cuidado com a escolha da página! Se sua HQ tem uma revelação de maior impacto, faça-a sempre numa página par!

Por quê?

Imagine que, para descobrir o culpado de um crime, você só precisa esticar o pescoço. Agora pense numa situação em que, para isso, só virando a página.

Muito mais suspense e muito mais impacto, certo?  

Nem preciso falar que toda a preparação para isso precisa se dar na página ímpar.

 

Considerações finais

 Se tudo o que você leu lhe pareceu óbvio, fico feliz. Significa que você está indo pelo caminho certo. Mantenha o curso, faça experimentações, encontre alternativas criativas!

Até semana que vem!

Comprar